top of page

Carta de Crédito: o que é e como usá-la?

Ao ser contemplado, o participante tem acesso à sua carta de crédito, e pode adquirir seu bem ou serviço, de acordo com o previsto em contrato. Mais afinal, como isso funciona?


O que é a carta de crédito?

A carta de crédito corresponde ao valor do plano escolhido pelo consorciado na contratação do consórcio. Em outras palavras, a carta é como um vale-compra. Com esse vale, o consorciado pode decidir qual bem deseja adquirir dentro da categoria contratada e o dinheiro será repassado a quem fez a venda do bem ou serviço, após realizados os trâmites necessários para a liberação do crédito. Se optar por não comprar nada, o consorciado ainda pode receber o valor em dinheiro, respeitando as regras estabelecidas em contrato.

Um exemplo: em um consórcio de um imóvel no valor de R$ 200 mil, com duração de 10 anos (120 meses), o consorciado é sorteado no oitavo mês de existência do grupo. Ele efetuou o pagamento em dia das 8 parcelas e, assim, teve acesso à sua carta de crédito. Mesmo já contemplado, o consorciado continuará com os pagamentos até completar as 120 parcelas.


Quando recebo minha carta?

Como já foi falado, o acesso à carta de crédito se dá após a contemplação. Antes de efetuar a compra do bem ou do serviço, a administradora fará uma análise das garantias exigidas.

E como funciona a contemplação? Ela acontece mensalmente, durante as assembleias ordinárias. O consorciado pode ser contemplado a qualquer tempo durante o prazo total do grupo, uma vez que não existe um momento predeterminado para a contemplação.

Ela pode ocorrer de duas formas: sorteio ou lance. Entenda melhor a seguir!


Sorteio

Algumas administradoras recorrem aos resultados da Loteria Federal para definir os números sorteados, enquanto outras preferem fazer os sorteios das assembleias online.

Os sorteados têm acesso à carta de crédito no valor do plano contratado, independentemente do número de parcelas pagas. Dessa forma, o sorteio é apenas o definidor da ordem de recebimento do crédito, uma vez que todos serão contemplados até o prazo final de duração do grupo — no sorteio, todos os consorciados concorrem em igualdade de condições.


Lance

lance, por sua vez, se assemelha a um leilão, podendo ser feito pela interne. Ele é um valor ofertado pelo consorciado que corresponde à antecipação de parcelas do consórcio.

Existem três tipos de lance, o livre, o fixo e o limitado. Ao ofertar um lance, o participante do consórcio tem a chance de antecipar a sua contemplação, não dependendo apenas da sorte. Vale lembrar que só é necessário efetuar o pagamento se o lance for o vencedor.


O que acontece se eu atrasar as parcelas?

Antes de mais nada, é preciso dizer que o ponto principal do consórcio é poupar em conjunto. Por isso, é importante escolher uma parcela que caiba no seu bolso e fazer um planejamento para cumprir com as obrigações.

Quando as parcelas de algum consorciado ficam atrasadas, a administradora pode recorrer às ações previstas em contrato para resguardar o poder de compra dos demais consorciados do grupo, e não colocar em risco o investimento de todos por causa de um participante que está tendo dificuldades para realizar os pagamentos.

A legislação diz que cada administradora tem a prerrogativa de reger, por meio do regulamento de consórcios, sobre a inadimplência dos consorciados contemplados e não contemplados, bem como as suas consequências.

Veja a seguir o que pode ocorrer em cada situação.


Consorciado contemplado que não tenha adquirido o bem

Caso o consorciado contemplado não tenha adquirido o bem, a inadimplência poderá causar o cancelamento da contemplação e até mesmo da cota, além de ser um fato que poderá impedir a liberação do crédito para a aquisição do bem.

Consorciado contemplado que já adquiriu o bem

Para o consorciado contemplado que já adquiriu o bem, a adimplência é fundamental para evitar o pagamento de encargos de mora e eventuais despesas referentes à cobrança dos valores em atraso, bem como a retomada do bem ofertado como garantia.


É preciso saber que o participante que estiver em atraso não pode participar das assembleias. Se perceber qualquer problema que o impeça de arcar com as parcelas, o participante precisa procurar imediatamente a administradora para entrar em acordo.


Como usar a carta?

Apesar de o consórcio ser feito para que a pessoa adquira um bem ou serviço desejado, ela não precisa se restringir a essa opção. Algumas situações ilustram bem as opções mais comuns de um consorciado contemplado com uma carta de crédito. São elas:


- comprar um imóvel: o consorciado utilizará a sua carta de crédito para efetuar a compra do imóvel desejado, conforme descrito no contrato de adesão do consórcio. A administradora responsável pelo grupo paga diretamente ao proprietário e transfere o bem ao consorciado; - adquirir um veículo: também é muito comum encontrar modalidades de consórcio para compra de motos e carros. Nesse caso, normalmente é possível comprar veículos novos e usados; - contratação de serviços: permite a utilização da carta para pagamento de serviços como viagens, estudos, despesas médicas, entre outros; - pegar o dinheiro: por algum motivo, o integrante do grupo não deseja mais realizar nenhuma compra. Ele poderá receber o valor do crédito em dinheiro, mediante quitação de suas obrigações para com o grupo, caso não tenha utilizado o crédito decorridos 180 dias da contemplação — ao encerrar o grupo, o crédito contemplado é liberado imediatamente.

A administradora também comunica ao consorciado que não utilizou o seu crédito, dentro de 60 dias após a última assembleia de contemplação, que os valores estão disponíveis para recebimento em espécie.


*Uma dica importantíssima: as opções de utilização da carta de crédito variam conforme o contrato assinado com a administradora do consórcio. Por isso, leia-o bem antes de fechar negócio!

bottom of page